Construção e Obras Públicas com Queda Significativa em Portugal

25 Fevereiro, 2014.

Construção e Obras Públicas com Queda Significativa

A Federação Portuguesa da Indústria da Construção e Obras Públicas (FEPICOP) confirmou uma queda significativa do setor da construção no ano de 2013. Segundo aquela instituição, relativamente a 2012 registou-se queda global de 15%, em resultado de uma redução de 18% no segmento Residencial, de 13,8% no Não Residencial e de 14% nas Obras Públicas.

Segundo a FEPICOP a diferença relativamente ao ano anterior teria sido ainda mais significativa se não tivesse havido um ligeiro abrandamento da queda, na segunda metade de 2012. Nos últimos seis meses do ano de 2012 houve um aumento da confiança dos empresários quanto ao nível da atividade e perspetivas de emprego.

A FEPICOP revela ainda que “as licenças de construção habitacional nova caíram, em termos homólogos até novembro, 30% e as destinadas à reabilitação, 22%, tendo sido licenciados menos 3.554 fogos em habitações novas nos primeiros 11 meses de 2013, que no mesmo período de 2012. Entre janeiro e outubro de 2013, foram licenciados menos 118 mil m2 (- 6,6%) de área não residencial que em igual período do ano anterior. Em contrapartida, a área licenciada aumentou nos edifícios destinados aos transportes e comunicações (79%), turismo (44,6%) e agricultura e pescas (27%).  Por fim, no mercado das Obras Públicas, foram abertos, em 2013, 1.856 concursos, no valor de 1.734,3 milhões de euros, o que traduz um ligeiro aumento (de 38,4 milhões de euros) face ao valor dos procedimentos abertos em 2012. Já o valor dos concursos públicos adjudicados em 2013 foi significativamente inferior (-20% em termos homólogos) ao dos adjudicados em 2012.

Fonte: FEPICOP
Imagem: via Wikimedia







Comentar


* Obrigatório